Tríduo Pascal 2016

 

010

Tríduo Pascal

 

Quinta-Feira Santa

 

18h.30: Ceia do Senhor e Adoração

 

Sexta-Feira Santa

 

09h.00: Via-Sacra

 

18h.30: Comemoração da Paixão do Senhor

 

Sábado Santo

 

21h.30: Vigília Pascal

 

Domingo de Páscoa

 

Missas: 10h. 00; 11h. 30; 12h. 40; 18h. 30

Beatificação do Padre Eugénio Maria

 

P. Eugénio Maria 1

O Papa reconheceu um milagre atribuído à intercessão do Padre Eugénio Maria do Menino Jesus que abre o caminho para a beatificação do Fundador do Instituto Notre-Dame-de-Vie.

Grande figura do Carmelo de França no século XX foi honrado na sexta-feira passada, dia 4 de Março pelo Papa Francisco que autorizou o Cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação das causas dos santos, a promulgar no mesmo dia, entre outros, o decreto que reconhece um milagre atribuído à intercessão do Venerável Eugénio do Menino Jesus.

 O anúncio da beatificação do P. Eugénio Maria do Menino Jesus foi recebido com grande alegria pelo Instituto Notre-Dame-de-Vie que ele fundou em 1932 em Venasque (Vaucluse). Constituído por três ramos autónomos (feminino laical, masculino laical, sacerdotal) e reconhecido de direito pontifício desde 1962, este instituto secular conta com cerca de 650 membros.

«Ele era um homem simples, de uma incrível lucidez sobre a pessoa humana», explica o P. Étienne Michelin, teólogo do studium de Notre-Dame-de-Vie. O P. Eugénio Maria, cuja obra Quero ver a Deus (1949) permanece um sucesso de livraria, foi declarado Venerável por Bento XVI em 2011.

Novos Santos do Carmelo (IV)

Isabel da Trindade

O Papa Francisco autorizou hoje, no dia 4 de Março de 2016, a publicação do decreto relativo ao milagre atribuído à intercessão da Beata Isabel da Trindade (1880-1906), carmelita descalça de Dijon, na França.

Isabel Catez nasceu a 18 de Julho de 1880 no campo militar de Avor perto de Bourges. Manifestou muito cedo uma natureza ardente, extremamente sensível, pronta para a cólera. Soube vencer-se por amor. Entrou no Carmelo de Dijon aos 21 anos, e tornou-se a Irmã Isabel da Trindade. Artista, não cessou de se maravilhar do amor com que Deus a ama e de contemplar o mistério da Trindade que na terra faz a sua morada em nós. Ela quis ser em toda a sua vida «louvor de glória», isto é, desaparecer, perder-se, deixando-se invadir pela Trindade. Morreu a 9 de Novembro de 1906, com a doença de Addison, depois de grandes sofrimentos.

A sua oração Ó meu Deus Trindade que adoro deu a volta ao mundo.

O Papa João Paulo II, na sua homilia de Bourges, em 1980, mencionou-a entre aqueles e aquelas que exerceram «maior influência na sua vida». Beatificou-a em Roma a 25 de Novembro de 1984.

O Papa Francisco abriu ainda caminho à beatificação do carmelita descalço francês Padre Eugénio Maria do Menino Jesus (1894-1967), Fundador do Instituto Secular Notre-Dame de Vie.