Carta do Padre Geral à Ordem pela Canonização de Luís e Zélia

Caríssimos irmãos e irmãs no Carmelo,

No próximo Domingo, dia 18 de outubro, na praça de S. Pedro, o papa Francisco inscreverá solenemente o casal Luís Martin e Zélia Guerin, pais de Santa Teresa do Menino Jesus e da Santa Face, no cânone dos Santos, que a Igreja propõe como exemplos de vida cristã aos fiéis de todo o mundo, para que se tornem fonte de inspiração e companheiros de caminho dos quais recebe impulso, luz e conforto…

A canonização do casal Martin é um sinal dos tempos que se deve interrogar profundamente porque tem um valor epocal. De facto a Igreja guiada pelo Espírito, decidiu – pela primeira vez na história – de canonizar juntamente um casal de esposos, durante a celebração da XIV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que tem por tema a vocação e missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo, no domingo dedicado à Jornada missionária mundial…

Formaram uma família exemplar, viveram o matrimónio como vocação e como uma vocação de amor, transmitiram a vida, gerando e educando as filhas, foram um casal sensível, acolhedor e generoso, e a fonte da santidade da sua vida foi a sua intimidade com o Senhor e Maria na vida de oração.

A sua canonização mostra a todas as famílias, em primeiro lugar às cristãs, a beleza extraordinária das coisas ordinárias, quando a própria história vem recebida das mãos de Deus e Lha oferecemos com a serena certeza de que «a coisa mais sábia e mais simples em tudo isto é abandonar-se à vontade de Deus e preparar-se de antemão para levar a própria cruz o mais corajosamente possível» (Cartas familiares 51), metendo-se «na disposição de aceitar generosamente a vontade de Deus, qualquer que ela seja, pois será sempre aquilo que será melhor para nós» (Cartas familiares 204).

A procura assídua da intimidade com o Senhor e com Maria, vivida exemplarmente por Luís e Zélia, é a mensagem mais preciosa deixada em herança às próprias filhas e a nós filhos de Santa Teresa. Na sua canonização podemos acolher o convite dirigido ao Carmelo Teresiano a ser mais família, a descobrir a beleza e a importância das nossas responsabilidades quotidianas, aprendendo humildemente das famílias, que vivem com empenho a própria vocação e missão.

É para nós de grande encorajamento constatar que verdadeiramente «de um “sim” pronunciado com fé nascem consequências que vão para além de nós mesmos e se expandem no mundo». Olhando para o casal Martin e para os frutos visíveis de santidade do seu ser um só coração e uma só alma, damo-nos mais conta que, aprendendo a comunicar, tornámo-nos «comunidade que sabe acompanhar, festejar e frutificar», e compreendemos que «a família mais bela, protagonista e não problema, é aquela que sabe comunicar, partindo do testemunho, da beleza e riqueza da relação entre homem e mulher, e daquele entre pais e filhos» (Mensagem do Santo Padre Francisco para a 49a Jornada Mundial das Comunicações Sociais, 17 de maio 2015).

O meu desejo é que a partir da graça que recebemos através desta canonização, nos empenhemos a conhecer de perto, também através da leitura da sua correspondência, o testemunho deste casal e nos insiramos criativamente no caminho que a Igreja está traçando, convidando-nos a redescobrir a família como sujeito imprescindível para a evangelização e escola de humanidade.

Saverio Cannistrà

Preposito Geral